sexta-feira, 10 de maio de 2013

O CULTO DEVOCIONAL NA FAMÍLIA

 

O CULTO

DEVOCIONAL

NA FAMÍLIA

 

 

 

INTRODUÇÃO

- Com a vida moderna cada vez mais agitada por compromissos de trabalho e estudo, aumenta a dificuldade de reunir a família em torno de uma mesa para as refeições e, mais ainda, para o benéfico culto doméstico. Mas será que falta tempo ou disposição para isso?

- O culto doméstico tem sido motivo de bênçãos para todas as famílias que o praticam, auxiliando na edificação espiritual, pois, o lar, como a primeira escola, tem sido um lugar de inspiração e adoração.

Pergunta-se:

- É possível a família moderna realizar com eficácia o culto no lar?

- O que pode ser feito para que o culto doméstico seja uma realidade diária em nosso lar?

- O culto doméstico é um tesouro perdido na vida da maioria do povo de Deus. Essa perda tem profundas e tristes conseqüências. Ela aponta uma perda de profundidade no relacionamento com Deus e também um enfraquecimento da comunhão familiar.

- O culto doméstico corrige a prioridade do nosso relacionamento com Deus, pois abre esse caminho para priorizarmos nossa relação com Deus acima de quaisquer outros interesses.

LIÇÕES PRÁTICAS:

Vejamos o que a Bíblia tem para nos instruir a respeito do culto na família, que é um assunto necessário e relevante ao bem-estar de todos.

1. O CULTO NA FAMÍLIA É PRÁTICA INSPIRADORA NAS ESCRITURAS

- O texto-base mostra, nos vv. 6 e 7, que o Senhor Deus está orientando a transmissão dos Seus mandamentos aos membros da família, e que isso seja feito de modo freqüente, ou seja, “assentado em tua casa, andando pelo caminho, ao deitar-te, ao levantar-te”.

- Os pais têm a responsabilidade de transmitir aos filhos os ensinos da Palavra de Deus, sendo que o culto na família é um mandamento propício para o cumprimento desta recomendação.

- E conveniente recordar que os primeiros cristãos se reuniam nas residências (At 2.46; 5.42; 12.12).

- E admirável nos registros referentes à igreja primitiva a expressão: “A igreja que está em tua casa” (Rm 16.5; ICo 16.19). Eles entenderam este mandamento, transformando seus lares em um local de adoração a Deus.

- Vale a pena registrar que o crescimento da Igreja em alguns países tem como uma de suas causas a reunião do povo de Deus nos lares.

- Será que as famílias cristãs estão atualmente cumprindo esta recomendação do Senhor?

- Aqueles que amam a Deus e são Seus filhos, precisam obedecer os Seus ensinamentos.

- A negligência quanto à prática do culto na família tem trazido prejuízos. Por conseguinte, todo esforço precisa ser feito para que cada família se transforme numa Igreja, a fim de que se possa dizer: “A Igreja que está em tua casa”.

2. O CULTO EM FAMÍLIA É PRÁTICA OUE RESULTA EM BENEFÍCIOS:

a) Conhecimento da Palavra de Deus.

- Hoje se percebe que muitos possuem pouco conhecimento bíblico.

- Lembre-se que, conflitos na família podem ser solucionados por meio do estudo da palavra.

b) Crescimento espiritual.

- O apóstolo Pedro recomenda o crescimento na graça e no conhecimento da Palavra do Senhor (II Pe 3.18). Os momentos de culto são ocasiões sempre oportunas para que o desenvolvimento espiritual seja manifesto (I Tm 4.15).

c) União familiar.

- O culto da família precisa ter sempre um aspecto agradável para unir os membros seus e, não, para dispersá-los. Não deve ser demorado, mas não apressado.

- Quando há crianças, elas precisam ser contempladas com oportunidades para oração, leituras bíblicas, cânticos, etc.

d) Evangelização.

- E ocasião em que os pais estarão evangelizando os filhos e vice-versa. Os visitantes e serviçais que porventura estiverem na residência na hora do culto, terão a oportunidade de ser alcançados para Cristo.

- O lar, como extensão da Igreja, é sempre um local propício para a evangelização.

- Muitas Igrejas que existem hoje tiveram a sua origem em reuniões promovidas nos lares.

e) Resoluções de problemas.

- É oportunidade para se compartilhar experiências com lições úteis para resolução de dificuldades.

- Na família os problemas são quase uma rotina. Alguns membros erroneamente procuram as soluções que não são as mais corretas. Por meio do culto doméstico a família possui a feliz oportunidade de colocar aos pés do Senhor os seus problemas, na certeza de que Deus apresentará a melhor solução no tempo oportuno (SI 25.12; I Pe 5.6,7).

3. BREVE ROTEIRO PARA O CULTO NO LAR

1º) Comece com cânticos de adoração e comunhão que todos gostem;

2º) Leitura de pequeno trecho da Bíblia: Cada dia, um membro da família deve ler, ou todos lêem alternadamente os versículos;

3º) Um comentário rápido e significativo pode ser feito, enfatizando os pontos, aplicando-os à vida da família, sempre trazendo o tema sob a ótica atual;

4º)  Momento breve de oração, com Pedidos: Cada um pede por si e por outros.

- Uma orientação para culto em famílias com adolescentes e jovens:

- Porque alguns adolescentes ou jovens não gostam do culto familiar?

- Os motivos são fáceis de identificar: o pai faz uma leitura bíblica longa estrategicamente escolhida para “alfinetar” os filhos, antes não conversam sobre um assunto em comum da semana, excesso de cerimônia, falta de música para alegrar…

- Lembre-se que jovens e adolescentes de hoje estão crescendo num mundo totalmente diferente daquele de seus pais e avós. Toda a sua base cultural é diferente e as práticas de culto julgadas próprias para gerações anteriores provavelmente deixam de impressioná-los. É hora de rever modelos e tornar o culto doméstico em um momento prazeroso para pais e filhos.

Aqui vão algumas dicas para cultos com jovens e adolescentes:

  • Envolva-os e lhes de tarefas - Antes da oração final, descubra o que aconteceu durante o dia com seu filhos. Demonstre interesse genuíno nas coisas que interessam aos adolescentes. Procure dar alguma tarefa para eles desempenharem durante o culto, como ler a Bíblia, cantar, orar, dar sua opinião, etc…
  • A Bíblia precisa continuar sendo a base do nosso culto. Os adolescentes acharão a Bíblia interessante se ela for apresentada de maneira sábia.; Se possível utilize na versão da linguagem de hoje.
  • Evite orações cansativas. Seja específico em suas orações, como se estivesse conversando com o melhor amigo. Mencione cada um de seus filhos por nome e peça ajuda divina para as tarefas seculares que ocupam a cada um.
  • Faça um culto breve. Os jovens de hoje estão acostumados a obter informações em pequenas doses. O culto pode ter no máximo 20 ou 30 minutos. Faça o culto no horário combinado – os adolescentes detestam fazer o culto numa hora em que gostariam de estar fazendo outra coisa. Adiar o culto para tarde da noite é um desastre, pois estará sempre associado ao cansaço. Prepare o ambiente para o culto, assegurando-se de que a possibilidade de tensão seja minimizada.
  • Trate de temas relevantes para eles. O tema deve relacionar-se com as questões de interesse imediato com que se defrontam no dia a dia: emprego, justiça social, educação, sexualidade, drogas, sobrevivência etc. Para comunicar-se com os adolescentes a respeito desses temas, o adulto precisa ser habilidoso. Cristo é o modelo óbvio para os pais nesse aspecto. A maneira como Ele falava com as pessoas era informal e prática.

- Se um formato de culto não funciona, tente outra forma de comunicação – não pense que você é um fracasso porque uma determinada abordagem não está funcionando.

- Os adolescentes e jovems apreciam os pais que estão preparados para conhecer a necessidade de alguma mudança. Discutam tudo com os jovens, sempre.

Que você possa ter sucesso em reunir sua família regularmente para exercitar comunhão com Deus, e assim vencer os conflitos espirituais que surgem no dia a dia.

 

 

AUTOR: Pr Josias Moura de Menezes.

 

###########################################

###########################################

###########################################

###########################################

Nenhum comentário:

Postar um comentário